Tá Russo - O Carnaval, visto por olhos siberianos

Autora: Margi Moss
Data: 9/3/2001

Na quinta-feira de Carnaval recebemos uma visita muito especial. O comandante Yakov Sabodin, piloto da Aeroflot na Sibéria, desembarcou devidamente uniformizado no Aeroporto Santos Dumont. Conhecemos Yakov en passant durante a feira de aviação em Oshkosh, EUA, no ano passado. Como o novo projeto do Gérard - a volta ao mundo de motoplanador (www.asasdovento.com.br) - passará pela Sibéria, nós o consultamos por e-mail. Todo avião estrangeiro que atravessa essa região em vôo privado precisa obrigatoriamente levar a bordo um navegador russo. Isso porque, nos pequenos aeroportos espalhados por aquelas terras frias e distantes, os controladores falam apenas russo.

Yakov, encantado com um inesperado e-mail vindo do Rio de Janeiro, imediatamente se candidatou à vaga. Na subseqüente troca de e-mails, eu disse que ele deveria conhecer o Brasil no Carnaval, versão do carioquês "passe lá em casa". Num plim plim, ele tirou o visto para o Brasil e pegou carona num vôo cargueiro da FedEx para Campinas (cidade, aliás, que ele pensou ser um bairro do Rio de Janeiro - mas isso é outra história). Chegou, cansado mas sorridente, dobrado de gratidão por ter sido convidado ao Brasil.

Foram cinco dias exaustivos mas divertidíssimos. Para Yakov, tudo era maravilhoso. Até o sol de 40º. A pele siberiana pegou, instantaneamente, a cor de lagosta com pimentão (tentei, meu Deus, como tentei forçá-lo a vestir a camisa e usar protetor - em vão). Subiu o Morro da Urca a pé. Comprou a camiseta do Romário. Ouviu chorinho na Lapa. Aprovou as geladinhas brasileiras. Dormiu na rede, vendo as estrelas. Velejou na Baía de Angra. Saiu no Jornal do Brasil, numa foto grande com bateristas e a manchete: "Rio empolga piloto".

À tardinha, saía para passear. Quando, à meia-noite, eu já estava a ponto de chamar a polícia, ele chegava em casa feliz da vida. Simplesmente tinha ido sambar na rua com o povo. Sozinho, magnetizado pelo calor humano do brasileiro. Curou-se de dor de barriga (comeu salsicha na rua) com o remédio caseiro siberiano: um dia inteiro sem comer, apenas bebendo Stoli (vodca Stolichnaya) e chá preto. Olhe a dica!

Debruçados sobre a carta da Sibéria, os dois moleques, Gérard e Yakov, planejaram a rota gélida que farão juntos. Nomes exóticos como Providenja, Anadyr, Evensk, Komsomolsk em Amur, Khabarovsk, Vladivostock. Depois, fizeram um sobrevôo da Cidade Maravilhosa. Deslumbrado com a paisagem, Yakov ficou chocado quando viu os porta-aviões ancorados na baía. "Porque o Brasil, um país de paz, quer dois porta-aviões?" Boa pergunta, meu amigo...

No sambódromo, dançou sem parar, mexendo o quadril melhor que muitos homens por aí. De madrugada, nos arredores da Sapucaí, ficou como criança em loja de brinquedos. Estava num self-service de fantasias jogadas no chão. Yakov pegou a maior - uma cafonice em verde, amarelo e dourado, com uma cabeça de vaca no ombro - e enfiou tudo num saco plástico da Comlurb. O lixo de um virou o êxtase de outro.

Na quarta, Gérard o levou ao Corcovado às oito da manhã. Eram as únicas almas lá em cima àquela hora. Contemplando a cidade sonolenta e de ressaca, Yakov ficou emocionado. Lágrimas nos olhos, agradeceu pela milésima vez. "Desde criança, vejo isso em fotos. Nunca imaginei que um dia poderia estar aqui." Com isso, foi pegar a carona de volta às terras geladas. Numa das mãos, a pequena maleta de piloto. Na outra, algo muito mais precioso: o gigantesco saco de lixo verde, com sua gloriosa fantasia.

Nesta coluna:

Mande uma mensagem para a autora: Margi Moss

Todas as colunas

 

Nota do editor: o texto desta coluna não reflete necessariamente a opinião do site 360 Graus, sendo de única e exclusiva responsabilidade de seu autor.





© Copyright 1998 - 2012 - 360 GRAUS MULTIMÍDIA
Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na Internet, sem autorização mesmo que citada a fonte.

Compartilhe:


Livros:

Equipamentos:

  • A emoção de um vôo de acrobacia em avião da Segunda Guerra
    Aviação
    A emoção de um vôo de acrobacia em avião da Segunda Guerra
  • Torres: a beleza e perfeita harmonia entre natureza e cidade
    Ecoturismo
    Torres: a beleza e perfeita harmonia entre natureza e cidade
  • A magia de Alto Paraíso na Chapada dos Veadeiros
    Lugares
    A magia de Alto Paraíso na Chapada dos Veadeiros
  • Como andar de bike com segurança em grandes cidades? Veja dicas
    Dicas
    Como andar de bike com segurança em grandes cidades? Veja dicas
  • Subwing: Experimente a sensação de voar debaixo d'água
    Mergulho
    Subwing: Experimente a sensação de voar debaixo d'água
  • Ubajara: um oásis em meio ao sertão cearense
    Ecoturismo
    Ubajara: um oásis em meio ao sertão cearense